Literatura

Crônicas

 

 

Fala, Thadeu! (Jornal Gente & Empresa)


Temas: Os Rumos do futebol e despedida do presidente Itamar Franco

 

 

AS IMAGENS DIZEM TUDO I

 

Pensando bem, falar o quê? Afinal, as imagens dizem tudo. Tô falando dos brincos, dos penteados feitos e refeitos antes, no intervalo e depois. Tô falando da maquiagem combinando com o figurino, dos cordões e brincos de ouro e prata, das firulas que terminam em “cai-cai” na grama temperada com areia verde, to falando de beijinhos e abraços em apoio ao gol perdido. Isso! Eu falei GOL!!! Tô falando de futebol!!!! Não, não é sobre moda e nem sobre futebol feminino. Aliás, bem que as jogadoras de futebol podiam copiar, acreditem, os homens! (É o fim do mundo). Sim, afinal as mulheres, lideradas pela craque Marta, legítima camisa 10, correm muito, dão sangue, mas não se maqueiam e nem fazem penteados para entrar em campo. O time masculino “dá pena”. Explico: Começa no gol com um frangueiro, ou seja, frango=pena. O “gênio” do time, segundo o Sr. Casagrande, comentarista ligadão de uma emissora de TV, é um tal de Paulo Henrique... Ganso, ou seja, ganso=pena. Esse comentarista deve gostar de droga, não é possível. Na frente, o matador é um tal de Pato que = pena. Tá parecendo o pato do João Gilberto (cantor): devagar e sempre.  Ah! Pra completar, ainda tinha , no Paraguai, um tal de Mareco, não é Marreco, afinal é pena paraguaia e no final, para o Brasil nem céu, nem água,  Ney mar! Só pena... que pena, o Brasil foi depenado. E como diria o Cebolinha (personagem do Maurício de Souza que troca o ”r” pelo “l”), ou melhor, como “dilia” o Cebolinha “soble” como se bate um pênalti: “É Elano que se aplende”. Pra finalizar esse papo de fute... papo de moda, não falo mais nada, passo a palavra ao Dunga. Isso mesmo, Fala, Dunga!!! Saia da cruz e encare os “Escobares”, os “Galvãos”, os “Netos” , “os Filhos da...” Fala, Dunga!

 

 

AS IMAGENS DIZEM TUDO II

 

É, mas mudando de assunto, vamos falar com atraso, do velório do nosso querido e respeitado Presidente Itamar Franco. Fiquei chocado e comovido com as palavras dos políticos, após as cenas dramáticas de sofrimento em volta da urna. Era um tal de “ este homem foi um exemplo de dignidade”, pra cá, de “ nos deixa como herança a certeza que um político pode ter caráter, ser honesto...” , pra lá. Acho que o Presidente Itamar deu até uma mexidinha dentro do caixão. Não é possível. Se bem que pra político, tudo é possível: político cassado por corrupção, roubo, abuso de poder é eleito para “Comissão de Ética”, político ficha suja após a eleição pode ser limpo desde que não suje a barra dos amigos. Partido inimigo em um estado não é partido em outro, é unido, em volta do bolo. Aliás, especialidade do PT: dividir o bolo entre seus convidados na festa do planalto! Só entra se for convidado ou amigo do Lula. PT, PSDB, PMDB, FDP, PQP... é só chegar lá! Só o povo não é convidado. É bolo pra todo mundo. Uma verdadeira “comessão”, ou melhor, comissão! Me lembrei daquela piada! O político passeando e dando dicas profissionais ao filho que pensa em seguir os passos brilhantes do pai. Brilhante sim, afinal o pai não tinha nada antes de ser vereador, deputado, senador, e  hoje, depois de uma comissão aqui, outra ali e nenhum serviço prestado à população, a não ser o da distribuição de cesta básica, conseguiu levantar uma fortuna invejável. Inclusive,  o pai é tão bonzinho que fez questão de distribuir sua fortuna, colocando tudo em nome de outros. Mas, vamos à piada: - Meu filho, ta vendo este viaduto? – Tô, pai. – Muito bem, seu pai que conseguiu a verba. E o melhor, vinte por cento aqui, pro meu bolso. – Nossa, pai! Vinte por cento? – É, meu filho, mas isso não é nada. Ta vendo aquele hospital ali?- Tô, pai. Não é esse hospital que falta leito, maca, aparelho, remédio...? – Bobagem, filho! O importante é que não faltou trinta por cento pro seu pai. Aqui, limpinho, no  meu bolso. – Puxa, pai! O senhor é demais! – Demais? Você não viu nada, meu filho! Tá vendo aquele restaurante popular ali? – Restaurante popular? Aonde, pai? Tô vendo nada, não. – Isso é que é demais, meu filho! CEM POR CENTO aqui, no meu bolso! Comi tudo! KKKKKKKK – Pai, você é “o cara”!
Descanse em paz Presidente Itamar Franco, o senhor merece! Ah! e com o topete bem arrumado, afinal ,o senhor apesar de ter batido um bolão, não era jogador de futebol!

 

Voltar

HomeCurriculumCinema e TVTeatroLiteraturaCursosContato

 



CNPJ: 16.051.800/0001-09